Enviar questão sobre produto

Se desejar colocar uma questão sobre este produto, simplesmente preencha todos os campos marcados com asterisco (*) e clique "Enviar". O seu nome e endereço de correio electrónico não serão publicados.

A Cegonha
Código do produto: 9789898867964
15,00

IVA incluído à taxa legal vigente
Encargos de expedição não incluídos

A Cegonha

de: Osvaldo Énio


Sinopse


Cidade de Viseu, 1950. A família Monteiro, constituída por cinco elementos, parte para Angola, em busca de melhores condições de vida. Dois anos passados em Nova Lisboa, opta por Sá da Bandeira, Lubango, indo morar num agrupamento tipicamente angolano, onde todos vivem em sã confraternização e harmonia, principalmente quando o luar tudo iluminava e uma música bem alegre se fazia ouvir, pondo o grupo a cantar e a pular.

A Cila e o Pencas (alcunha desde menino) em 1953 começam a namoriscar e, passados dez anos, na igreja do Bairro, o amigo Padre Noronha declarava-os marido e mulher. O Valdo, que seguiu a carreira militar, é transferido em 1961 para a zona onde se desenrolava a guerrilha, ali regressando em 1966, onde viveu com a Quiquinha e três filhos até 1975. Sempre atenta e disponível, era o agente dinamizador e pilar granítico que garantia a harmonia e o bem-estar da família, suportando com inquietação contida as duras ausências do marido provocadas pela actividade do inimigo, vivenciando de perto situações e ocorrências de violência e morbidez.

Por efeitos da “exemplar descolonização”, chegam a uma Lisboa fria em finais de Outubro de 75, ficando temporariamente em Viseu. Desiludido com a situação encontrada, o marido passou à reserva, indo depois trabalhar no Complexo Industrial de Sines em 1978. Por falta de habitações, só em 1984 a família deixa Oeiras e vem residir no Alentejo.

Pouco tempo depois, sofre um estado agudo depressivo (stress pós traumático) e, após mais alguns anos, é diagnosticada, depois de vários exames, uma doença neurodegenerativa, vindo a Quiquinha a sucumbir em Março de 2019, sendo ineficiente o seu prolongado sofrimento.

Este é o penhor da minha gratidão pelo muito que foste, sofreste e soubeste amar.


 

Envio no prazo de 2 dias úteis, após pagamento


A sua questão para nós
Designação
Telefone
Se indicar o seu número de telefone, temos todo o prazer em contacta-lo(a).
Endereço de correio electrónico *
Pergunta *

Política de privacidade: Os seus dados inseridos aqui apenas serão utilizados para responder a esta questão e nunca para outros fins. Para mais informações, consulte Política de privacidade.